principal

mural de recados

noticias antigas

fotos antigas de Mogi Guaçu

twitter MGA

orkt MGA

facebook MGA

contato

 

Informação

Assembléia dos ceramistas fica sem acordo; Chiarelli publicará balanço de 2010

 

Terminou em impasse a assembléia dos ceramistas realizada na noite desta quarta-feira, 16, no sindicato da categoria. Os trabalhadores queriam obter informações acerca da situação do plano de recuperação extra-judicial da Cerâmica Chiarelli S/A. Contudo, as discussões resvalaram para a divergência total e nada ficou definido. Por causa disso, uma outra assembléia foi agendada para o próximo dia 18 de abril, também às 19h, no mesmo Sindicato dos Ceramistas.

O impasse aconteceu porque não houve consenso a respeito da decisão sobre em pedir ou não a falência da tradicional cerâmica. Um grupo pressiona o sindicato a protocolar na Justiça o pedido de falência da empresa. Com isto, esperam dividir o espólio da tradicional cerâmica, que deve salários atrasados e direitos trabalhistas aos funcionários dispensados há três anos. O Sindicato, porém, é contra o pedido de falência.

Segundo o presidente da entidade sindical, Paulo de Tarso Ferreira, este é seria o pior caminho para os trabalhadores. “O processo todo de falência é longo. Demora mais de 5 anos. Só depois é que os trabalhadores vão receber alguma coisa. É preciso paciência agora para não colocar a carroça na frente dos bois”.

Paulo de Tarso explicou à reportagem do Correio do Povo que a Chiarelli S/A tem até o próximo mês de agosto para concluir o plano de recuperação judicial. Ele afirmou ainda que a direção da empresa tem demonstrado disposição de que pode retomar as atividades em 2011. Paulo se baseia na publicação dos balanços referentes aos anos de 2008 e 2009 na CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

“Também conversamos com o administrador da recuperação judicial da empresa, na semana passada, em São Paulo, que confirmou que o Caio Albino de Souza [diretor da Chiarelli S/A] vai enviar para a CVM os balanços de 2010”. “Faltavam apenas alguns poucos detalhes. Mas o envio para a CVM vai acontecer. Ele nos garantiu”, argumentou.

Estas informações foram repassadas para os trabalhadores durante a assembléia. Eles esperam ansiosos por uma definição em torno dos seus direitos trabalhistas. A mesma ansiedade acontece com os acionistas, que não podem negociar a ações da Chiarelli S/A por causa do imbróglio judicial.

Os acionistas ficaram animados ainda mais porque no último dia 14, pois a empresa deu entrada na CVM com o pedido de reversão de suspensão de registro. Coincidentemente, o pedido aconteceu após a entrega dos balanços de 2008 e 2009, sendo a solicitação um requerimento necessário para que as ações voltem a ser negociadas na bolsa de valores.

“De qualquer forma, reforça a disposição do Caio de ver as ações novamente no pregão. Estamos ansiosos por este momento, já que não podermos negociá-las há cerca de 10 meses”, afirmou um acionista da Chiarelli, que representa pequenos investidores que congregam uma carteira de mais 5% das ações.

TRADEINVEST

Também neste dia 17, vence o prazo dado a Luiz Roberto Pessoa, diretor da TradeInvest, incorporadora do Figueira Plaza Shopping, para pagar a primeira parcela referente à compra da unidade 1 da cerâmica Chiarelli, de acordo com a interpelação extra-judicial . A unidade foi avaliada em R$ 16 milhões.

Conforme foi informado na assembléia dos ceramistas, potenciais “investidores” da Capital teriam gostado do projeto do shopping e se interessaram em investir no empreendimento. No entanto, eles condicionaram os investimentos à aquisição majoritária das cotas do Figueira Plaza. Atualmente, a Trade seria dona de cerca de 70% destas cotas.

Fonte/Bira MAriano - www.jornalistico.com.br

 

 

Imprima esta página      

Redação MGA

 

Acompanhe o MGA nas Redes Sociais clicando abaixo

   Follow mgacontece on Twitter

 

 

 

 

principal

mural de recados

noticias antigas

fotos antigas de Mogi Guaçu

twitter MGA

orkt MGA

facebook MGA

contato

Mogi Guaçu Acontece 2009 - RfDeSiGnErMaStEr

  online